NETUNO EM PEIXES – MEDO DO INVISÍVEL

NETUNO EM PEIXES – MEDO DO INVISÍVEL

Escrito em 07/jun/2011

Por Nick Owens, Agent 37

Em 4 de abril de 2011, às 13h37 UTC, Netuno ingressou em Peixes. Ficando neste signo até 5 de agosto de 2011, retornando em movimento retrógrado a Aquário, apenas para reingressar em Peixes em 3 de fevereiro de 2012. Netuno permanece neste signo até 2025.

Acontecendo tão próximo à entrada de Urano em Áries, que se deu no ano anterior, este ingresso promete uma maior mudança do sabor da experiência coletiva, e resultante instabilidade, até o ano seguinte. Apesar de que se poderia argumentar que isto já vem ocorrendo desde o início de 2008, quando plutão passou de Sagitário a Capricórnio, que temos então recentemente estado, como população global, sujeitados a enormes transformações em nosso sentido de mundo e de futuro. Urano troca de signo cada 7 anos aproximadamente, Netuno a cada 13 e Plutão pode mudar numa faixa de 11 a 32 anos, de pendendo de onde está em sua órbita (que é bem mais excêntrica). Em momentos como agora, em que mudanças de signo de planetas exteriores ocorrem tão próximas umas das outras, eventos perecem se empilhar um sobre outro, e o campo geopolítico parece ainda mais intenso.

Por exemplo, o período de 1968-1972 foi marcado por Urano entrando em Libra, Netuno entrando em Sagitário e Plutão entrando em Libra. Correspondeu ao auge do movimento ‘hippie’, o pouso na Lua, as manifestações contra a Guerra do Vietnam e em favor dos direitos humanos de grupos desprivilegiados (mulheres, negros, gays), a publicação do seminal e profético documento Limits to Growth, o pico da produção de petróleo no continente norte-americano e a eliminação do dólar do padrão-ouro que abriu o caminho à subsequente crise do petróleo e conflitos nos meados dos anos setenta e além. No período de três meses, incluindo as mudanças de signo de ambos Urano e Netuno, vimos revoltas e reinvindicações no mundo árabe, mais uma intervenção militar ocidental, desta vez na rica em petróleo Líbia, marchas e demonstrações antigovernamentais na Europa e América do Norte e então, literalmente dentro de 24 horas de Urano se movendo através do Ponto Mundial a 0º Áries, um forte terremoto, tsunami e catástrofe nuclear no Japão. Com respeito aos terríveis eventos no Japão, a súbita crueldade e violência literalmente de “tremer o chão” do terremoto causou seu próprio dano, mas a inundação de água que o seguiu parece ter sido o mais destrutivo e assustador, como que refletindo a súbita violência e força explosiva de Urano entrando em Áries, seguido pela vasta dissolução oceânica de Netuno entrando em Peixes.

Netuno corresponde, ele próprio, a mudanças graduais e imperceptíveis de realidade, que operam tão devagar e sutilmente e com tamanha força hipnótica que com frequência nem percebemos seus efeitos até que eles já tenham passado há algum tempo. Nós subestimamos a magnitude destas mudanças por nossa conta e risco, assim como um tsunami pode passar quase despercebido no oceano aberto mas, em algum lugar onde se choca com estruturas inflexíveis, revela sua fúria caótica. Dentre exemplos de fenômenos físicos que evidenciam essa qualidade de sutileza ou embaçamento, em que fronteiras claras são impossíveis de encontrar, estão as fases gasosa e líquida da matéria, juntas chamadas de fluidos (especialmente grandes montantes de fluidos como o oceano ou a atmosfera), a radiação eletromagnética, de qualquer comprimento de onda, e as ondas sonoras. Tais fenômenos físicos estão associados a uma sensação de imanência, como se eles cercassem totalmente o sujeito, uma experiência envolvente de imersão ou subsunção. Surgindo desse senso de vastidão e falta de clareza está a experiência da percepção psíquica de intoxicação, como também a entrega por submissão, a hipnose, o sono, o transe, como encantamento em feitiço, ou como ser tomado por fumaças, ou inundado por poderosas ondas ou correntes.

A causa, a fonte, pode não ser aparente. Pode ser invisível, misteriosa, inescrutável. Mas os efeitos, ainda que efêmeros, penetram no cerne da experiência perceptiva e emocional.  A experiência do reino netuniano da realidade é muitas vezes confusa, porque desafia-nos a definir realidade em escalas onde definição e verdade singular começam, elas próprias, a perder sentido. Social e politicamente, Netuno tende a corresponder a ideologias que têm um cativante senso de idealismo ou uma narrativa de libertação das imperfeições do mundo em uma utopia de perfeita ordem. Ele também diz algo sobre o aquilo que contextualiza ou envolve as nossas cofigurações da realidade, do que é que está “lá fora” que contém toda nossa noção e, portanto, implicitamente condiciona nossas crenças sobre o mundo; esta poderia ser uma posição filosófica, uma crença religiosa, uma ideologia política, um argumento metafísico, uma cosmologia ou uma ilusão. Mas, como o proverbial peixe cego à água em que nada, estamos muitas vezes totalmente inconscientes da presença destas configurações, e talvez incapazes de manter a sanidade sem elas.

Por 13 anos (desde 1998), Netuno esteve em Aquário, signo da diversidade, individualidade, inovação, redes e grupos. Isso correspondeu a uma variedade de fenômenos sociais e políticos ao redor do globo, que atuaram como cristalizações do significado arquetípico de Netuno filtrado pela perspectiva aquariana da vida. A internet foi um dos principais dentre esses fenômenos. Permitir livre, liberto, fácil acesso a múltiplos pontos de vista, grandes quantidades de criatividade e de opinião e a formação de redes entre pessoas que compartilham as mesmas visões – esta tecnologia transformou totalmente a comunicação humana, assim como a mídia, as artes, o comércio, a educação, a ciência e tecnologia e a cultura popular em geral.

Aquário tem a ver com núcleos distribuídos de criatividade, ele reifica a independência do indivíduo comum para se destacar do rebanho. E Netuno idealiza isto em uma realidade virtual de identidades múltiplas e cambiantes, cada uma atendendo a um grupo ou associação diferente. Note como programas de televisão apresentando dinâmicas de grupo apareceram na década passada – Big BrotherThe Biggest LoserSurvivor, Dancing with the StarsAmerican Idol, etc.  Nos tornamos intoxicados uns pelos outros – nossas idiossincrasias, nossos pecadilhos, como, para além das diferenças, podemos todos aceitar uns aos outros pela nossa humanidade comum.

Este é verdadeiramente um brometo de Aquário, um bálsamo do início do século 21 para a nossa busca perpétua por maior significado para o nosso sofrimento. A localização e os aspectos de Netuno a outros planetas descreve o ‘culto’ dos nossos tempos, a perspectiva quintessencial da vida, aquele conjunto de pressupostos subjacentes que enquadram nossa visão de vida, e parecem atuar como uma nota mais constante nas harmonias cambiantes do tempo. Então, por exemplo nos anos 1970, quando Netuno estava em Sagitário, moda, cultura popular e cinema pareciam ressoar com os temas da exploração, cultura exótica, ecletismo religioso, viagem espacial e desenvolvimento espiritual – veja os filmes blockbusters de Steven Spielberg tais como Star WarsE.T. and Close Encounters of the Third Kind, o horrível e mortal culto religioso de Jim Jones. Todos esses são temas muito sagitarianos – expansão de horizontes, desenvolvimento spiritual e mitos moralizantes em larga escala, com exaltadas verdades universais.

Claro, o lado negativo da estadia de Netuno em Aquário também se evidenciou na maneira característica em que fomos postos em transe, em um devaneio sonhador de auto-ilusão, de modo que nossa apreensão do que realmente está acontecendo ao nosso redor se enfraqueceu. Na esfera política, vimos a ascensão do grupo focal, o abandono de qualquer senso de princípios profundos no desenvolvimento de políticas e uma semelhança curiosa descer sobre os principais jogadores em campo. Embora, por um lado, a internet tenha aumentado o poder do indivíduo dentro da sociedade, também fez com que as pessoas se privassem da atividade política, como padrões individualizados de consumo e uma sensação de melhor reconhecimento de nossas diferenças sociais. E a maior capacidade de afiliação social complexa e em rede talvez tenha resultado em nós esquecermos da necessidade de liderança real, que é do que se trata em política. Porque a realidade é que existem muitos, muitos problemas que afetam nosso ambiente e nossa espécie que requerem fortes saltos na consciência planetária, grandes mudanças na direção do que devemos ao mundo ao invés de o que nós podemos tirar do mundo. A política tradicional, convencional, tem sido subvertida nos últimos 10-15 anos por uma ideologia da não-ideologia, um tipo de espaço vazio e vago, onde as visões e ideias dos políticos são apenas o que os seus gurus de pesquisas de mercado lhes disseram que dissessem. E nós todos percebemos isso, sabemos que está acontecendo, no entanto não fazemos nada a respeito. Esse é o lado escuro de netuno em Aquário – um senso de apatia política, do conforto em ilusões de globalização, da economia neoliberal e o ‘fim da História’, bem como a aversão a despertar do transe do individualismo e culto do homem comum. Para Netuno em Aquário, sonhos de utopia encontram-se em imagens de uma sociedade global inteligente e ligada em rede eletrônica, liberta das restrições ridículas das convenções sociais – mas também da realidade prática e pé-no-chão do sofrimento físico, emocional e espiritual e da injustiça, que nos cercam no mundo real, não na realidade virtual do espaço cibernético.

Após 13 anos desse sonho, a roda agora gira ainda mais. Movendo-nos ao oceânico e sutil Peixes, nós começamos a ver níveis de engano e mentiras tão grandes que beiram a ilusão, movimentos inteiros de pessoas acreditando coisas sobre o mundo, sobre o futuro, sobre a humanidade, crenças que não podem ser abaladas, independentemente de essas noções serem racionais, irracionais ou apenas completamente bizarras.  Haverá um contágio de histeria, de temores histéricos sobre coisas que escapam a uma descrição concreta, coisas tipicamente invisíveis ou insensíveis – talvez radiação, poluição, produtos químicos, hormônios ou drogas – silenciosamente minando e corroendo o nosso senso do que é real. Uma atitude de espanto com os eventos lentamente vai se desenvolver, uma sensação de caos ou de ser mergulhado em intratável confusão. A desilusão com quem vender ilusões reconfortantes será tão pronunciada como a corrida acirrada para a negação escapista dos nossos problemas planetários, ou talvez, mais particularmente, dos nossos problemas humanos. Mas também haverá uma idealização de humildade ecológica, de retribuir, de se doar, sacrificar o que se deve deixar ir. Talvez também sentimentos invasivos de culpa e negatividade depressiva, embora também a possibilidade de um sentido mais refinado e realista da fraternidade espiritual, e uma conexão mais profunda com as necessidades comuns que partilhamos, com nossa carga comum de sofrimento. A moda do monástico, do isolamento ou retiro eremita e da devoção a tudo o que sofre na vida. Mas, como o par de peixes de Peixes que nadam em direções opostas, sempre puxando um ao outro, haverá extremos de escapismo e abandono hedonista que farão a década de 1960 parecer um piquenique.

É interessante observar os eventos em torno do desastre nuclear de Fukushima para ver um exemplo precoce do sentido que Netuno em Peixes transmite. O vazamento de radiação e partículas radioativas tem continuado desde o terremoto e tsunami e das explosões que ocorreram na usina nos dias seguintes. Inicialmente, o assunto estava em todos os noticiários, especialistas eram levados para acalmar todo mundo e outros especialistas opostos atiçavam o medo. Havia um sentimento generalizado de que a verdadeira extensão do desastre estava sendo encoberta, ou pelo menos minimizada. Os níveis de radiação e das concentrações de partículas radioativas foram relatados tanto no Japão como em todo o hemisfério norte, mas é difícil saber o que esses números significam – tudo parece confuso, enganador, assustador, e ainda o próprio desastre parece ter caído fora incrivelmente dos programas de notícias. Ainda mais estranho, os limites aceitáveis para a exposição à radiação de repente subiram nos EUA, e o presidente Barack Obama confirma que mais usinas nucleares terão de ser construídas. A verdadeira extensão das mortes, doenças e deformidades que resultou do desastre de Chernobyl em 1986 está agora emergindo (provavelmente quase um milhão de mortes por si só, de acordo com pesquisadores médicos russos, bielorrussos e ucranianos, comparado com uns poucos milhares de acordo com a Organização Mundial da Saúde), bem como os conflitos de interesse que abundam desde o nível da Agência Internacional de Energia Atômica até os organismos reguladores nacionais e os próprios operadores das centrais nucleares.

Tal como a radiação invisível em si pode infligir danos ao seu corpo sem você saber disso até muitos anos mais tarde, a corrupção institucionalizada, o sigilo e engano da indústria nuclear foram lentamente minando suas reivindicações e sua credibilidade. Nós apenas começamos o primeiro capítulo da história terrível que é Fukushima, mas a verdadeira extensão da sua importância para o mundo talvez ainda não tenha sido apreciada. Nós certamente vimos negação, dissimulação e distorção da verdade, assim como vimos no Golfo do México no ano anterior, quando Quíron entrou Peixes. Com Netuno agora situado neste signo também, um senso invasivo e generalizado de toxicidade está surgindo.

Por Nick Owens, Agent 37

Traduzido por Vanessa Guazzelli Paim, Agent 55